Blog / Obstetrícia

Trombofilia na gestação: saiba mais sobre as “picadinhas de amor”

23/01/2020

18:00:00

Por: Dra. Grazieli Sassi - CRM/RS 33.730

Ginecologista e Obstetra

 

Quando as fotos de bebês recém-nascidos envoltos por dezenas ou até centenas de seringas começaram a surgir nas redes sociais, o tema “trombofilia” passou a ser abordado de forma mais intensa. A divulgação das fotos tornou esta condição mais conhecida, mas a trombofilia ainda gera muitas dúvidas e insegurança, tanto para as gestantes, como também entre as mulheres que estão tentando engravidar.

 

- O que são estas injeções?

 

 Chamadas pelas gestantes de “picadinhas de amor”, são injeções de enoxaparina sódica, aplicadas durante a gravidez pelas gestantes. Este medicamento é administrado de forma preventiva quando se identifica na gestante a condição de trombofilia: um risco aumentado de formação de trombos (coágulos) no sangue, que dificulta a passagem de nutrientes da mãe para o feto, podem causar abortos, partos prematuros, e ainda trombose e embolia pulmonar na gestante.

 

- Como prevenir?

 

A gravidez, por si só, tem um risco aumentado de desenvolver trombose. No entanto, algumas mulheres, seja por predisposição genética, como por condições adquiridas durante a vida, podem ter o risco aumentado de formação de coágulos sanguíneos na gravidez e precisam administrar a medicação injetável na região da barriga. Lembrando que não existe indicação de realizar rastreamento em todas as gestantes. E que o momento ideal para realizar o rastreamento seria antes de engravidar, já que a gestação pode modificar o resultado de alguns exames. Sendo mais um motivo importante para as mulheres que pretendem engravidar realizarem uma consulta pré-concepcional, antes de engravidar.

 

- Quais os cuidados e duração do tratamento?

 

O(a) obstetra irá identificar a necessidade de uso da medicação para a trombofilia, posologia (quantidade de medicamento) e a duração do tratamento, o que muda conforme cada caso. Geralmente, as injeções continuam a ser administradas até 40 dias após o parto. É muito importante destacar que a gestante siga todos os cuidados e orientações, conforme prescrito pelo(a) seu(sua) obstetra. O apoio da família também é bem importante, visto que uma gravidez onde são administrados medicamentos anticoagulantes tem um risco aumentado e a gestante precisa evitar determinadas atividades que envolvam esforço físico.

 

O diagnóstico da trombofilia e o tratamento correto possibilitaram o nascimento de muitas vidas, já que no passado, muitas mães não conseguiam prosseguir com a gestação pois os coágulos interrompiam a passagem do sangue da mãe para o feto.

 

 

Dra. Grazieli Sassi - CRM/RS 33.730
Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (RQE. 25.514), com formação em Videohisteroscopia, em Ultrassom Ginecológico e Obstétrico e em Medicina Estética.
Contatos: (54) 3324-3704 e (54) 9 8410-3704.

Informações

  Dra. Grazieli Sassi - CRM/RS 33.730

Fotos do Post